A dificuldade de controlar a ferrugem da soja (Phakopsora pachyrhizi) no momento correto tem levado os produtores de grãos a buscar serviços especializados em aviação agrícola, em função da sua rapidez de aplicação. Este trabalho teve como objetivo verificar a eficiência das aplicações aéreas convencionais com bicos hidráulicos e volume usual de 30 litros/ha, comparando com as aplicações em baixas vazões e espectro de gotas homogêneo dos atomizadores rotativos de disco, usando óleo de soja degomado e emulsificado (tecnologia BVO) em 8, 12 e 15 litros/ha de calda, além da testemunha sem aplicação. Os resultados mostraram que os quatro tratamentos onde foram realizadas as aplicações aéreas controlaram eficientemente a ferrugem aos 27 e 35 dias após a aplicação, refletindo na produtividade e peso de mil sementes. Portanto, as pulverizações aéreas usuais e em BVO, realizadas dentro dos limites das condições meteorológicas adequadas, podem ser consideradas excelentes técnicas para o controle da ferrugem.

Fonte: Agrolink