Minas Gerais deve colher safra recorde de 13,8 milhões de toneladas de grãos neste ano. 

?Minas Gerais deve colher safra recorde de 13,8 milhões de toneladas de grãos neste ano. O volume esperado para a safra 2016/2017 é 17,1% superior a safra passada. A área plantada deve alcançar 3,3 milhões de hectares. Os números fazem parte dos levantamentos de safra realizados pela Conab e pelo IBGE e foram analisados pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

Milho e soja representam 90% da produção mineira de grãos, que engloba também o feijão, algodão, sorgo, trigo, arroz, amendoim, girassol e mamona. As principais regiões produtoras são o Noroeste, Triângulo e Alto Paranaíba que totalizam 67,2 % da produção. Esse bom resultado se deve ao esperado ganho de produtividade. Nesta safra a lavoura de milho e soja foram influenciados pelos bons níveis de preços que antecederam o período de plantio.

Segundo o Secretário de Agricultura Pedro Leitão, a possibilidade de colhermos uma safra recorde é essencial para dinamizar a economia mineira, pois revitaliza as agroindústrias do complexo soja, além de ofertar milho e farelo de soja, que são produtos essenciais para a produção de proteína animal, a exemplo das carnes (bovina, frango e suína), ovos e leite.

Em relação à cultura do milho, os produtores dispõem de capital para financiamento da produção, bem como utilizam bom nível tecnológico no sistema de cultivo. Essas características criam para a cultura a expectativa de elevadas produtividades, que vai depender do desempenho da atividade climática. No caso da soja, a estratégia montada pelos produtores, nessa safra, foi apostar no aumento do plantio da oleaginosa, utilizando o melhor pacote tecnológico disponível, como forma de compensar a frustração da temporada passada.

Estimativa Safra Grãos MG 2016/2017

Milho – 7,8 milhões de toneladas (+32,2%)
Soja – 4,6 milhões de toneladas (-2,1%)
Sorgo – 516,8 mil toneladas (+48,7%)
Feijão – 559 mil toneladas (+7,5%)
Arroz – 16,1 mil toneladas (+7,3%)
Mamona – 9,3 mil toneladas (+38,8%)

Fonte: Embraer